Buscar
  • Isabelle Dossa

LONGEVIDADE E MEDITAÇÃO

E se, agindo em nossos pensamentos, conseguirmos agir em nosso corpo, modificar seu funcionamento e melhorar sua longevidade?


Esses pensamentos que repetimos e nos afetam:

O círculo vicioso de nossos pensamentos e emoções


Nosso cérebro mantém em mente nossos pensamentos, em relação às nossas emoções. Na maioria das vezes, esses são pensamentos relacionados ao medo ou angústia que construímos desde a infância. Como se fosse um programa a seguir que, ao mesmo tempo, nos reforçaria em nossos pequenos hábitos, mas, ao mesmo tempo, nos impediria de sair deles e nos trancaria em uma espécie de círculo vicioso. Nossos pensamentos criam emoções, e nossas emoções nos fazem pensar nas mesmas coisas.

Assim que ativamos esse programa, o cérebro reconecta automaticamente as mesmas redes neurais, para facilitar. Quanto mais repetitivos forem os pensamentos, mais seus sinais elétricos são facilmente acionados no cérebro. Muitos desses pensamentos são estressantes e sabe-se que o estresse causa uma cascada inteira de reações corporais potencialmente destrutivas a longo prazo. Desempenha um papel importante na aceleração do envelhecimento e no desenvolvimento da doença de Alzheimer.

Muitos de nós procuramos sair ou pelo menos fazer uma pausa neste círculo vicioso. Mas, depois de um certo tempo, outras intercorrências, ou mudanças de fatores internos ou externos, fazem que os bons hábitos parecem irremediavelmente dar lugar a esse estresse que nos invade.


Mudar não é fácil para o nosso cérebro

Como promover mudança de habitos


Quando decidimos mudar os hábitos de vida, milhares de novas conexões neurais são solicitadas. Mas, comparadas ás ativadas pelo hábito, elas tem dificuldade para ganham peso. E assim que as nossas boas resoluções diminuem de intensidade, as redes antigas assumem o controle e voltam ao trabalho como antes.

Menos estresse geralmente significa mais tempo livre e um estilo de vida melhor em geral e, portanto, novas situações que exigem algum trabalho de adaptação ao cérebro.

Por outro lado, o sentimento relacionado ao estresse será para o cérebro uma resposta mais simples, mais conhecida e mais rápida. Se estamos acostumados a ter pensamentos negativos, ele preferencialmente irá para a resposta condicionada, usando a rede neural ativada com mais freqüência, ou seja: a mais fácil de operar.

Com esse mecanismo entende-se as dificuldades de combater o estresse na vida cotidiana.


O que é reprogramação cerebral?


Felizmente, estudos epigenéticos em psico-neuro-imunologia e plasticidade neuronal mostram que nossos cérebros, assim como nossos genes, são maleáveis. O que é feito pode ser desfeito, graças à reprogramação do cérebro. Supondo que nossos pensamentos e emoções sejam capazes de criar a doença, eles também devem ser capazes de criar saúde e longevidade.

Vemos o mundo apenas através da realidade que construímos mentalmente; como nos extrairmos dessa visão para construir uma nova realidade?


A técnica de "reframing" para se reinventar


A reformulação pode ser traduzida como "alteração do quadro de referência".

O quadro de referência é um esquema complexo no qual nossas crenças, nossos valores, nossos hábitos são articulados ... pela repetição e pelo automatismo. É isso que nos permite dar sentido à nossa realidade, mas não é necessariamente a realidade correta nem a única. A partir do momento em que uma parte desse quadro é modificada, o sentido imprimido nele pode mudar.


Para conseguir isso, primeiro precisamos nos conhecer , nos observar e saber entender qual é o nosso atual quadro de referência, em geral, são atitudes repetidas, e algumas vezes ruins. Podemos identificar e si quiser nos livrar de ruminações do passado, ou atitudes de sabotagem.


Existem técnicas, exercícios, para nos ajudar: Um deles é anotar todos os eventos que desencadeiam uma emoção.

Começa prestando atenção especial ao que você sente, observando sem julgar e conheça as emoções gatilhos dos pensamentos.

Por exemplo, tal acontecimento gera uma raiva dentro de nos....

Alguém elogia, mas não acreditamos nisso ...

Amigos não ligam, nos sentimos abandonados ...


Calmamente, podemos prosseguir para uma reinterpretação desses eventos que nos marcaram e

· Um problema se tornar uma oportunidade,

· Uma fraqueza se transforma em força,

· Um sentimento de opressão ("contra mim") tornar-se neutro ("sem se preocupar comigo"),

· Maldade ser percebido como falta de entendimento.


Marcando uma pausa e um distanciamento com os nossos antigos padrões, permite ao estresse cerebral dar um passo para trás e , se torna possível reinterpretar os eventos com calma e se distanciar deles.

Agir sobre essa quadro não é apenas agir sobre nós mesmos, mas vai permitir agir sobre os relacionamentos que compartilhamos com aqueles que nos rodeiam.

Uma vez que aprendeu a entender a reconhecer o seu quadro de referencia, precisa definir suas intenções claras e precisas sobre o que realmente quer em sua vida. Pode ser um novo emprego, uma mudança de parceiro ou uma mudança de estilo de vida (hábitos alimentares, estresse, vícios ...), pode ser mais prosperidade ou mais relacionamento.


E precisa construir um circuito neuronal completo, isso quer dizer vincular essa intenção a uma emoção forte e poderosa, pois a inteligência emocional desempenha um papel importante na evolução de nossos pensamentos. E a traves de uma emoção que o pensamento nasce. Por isso, privilegiar e cultivar emoções positivas, como amor, compaixão, gratidão ou perdão, seria uma das chaves da jornada para si e para os outros.

A repetição dessas emoções positivas, condicionará um estado mental mais harmonioso e nosso cérebro liberará neuromediadores em adequação aos nossos pensamentos. É a repetição, a manutenção ao longo do tempo, que cria a arquitetura de nossa realidade e que pode permitir a mudança gradual do quadro de referencia. As tensões podem dar lugar à calma, o medo à paz ...


Sempre ligando pensamento com emoção, será necessário imaginar nosso sentimento quando o objetivo for alcançado. Nossas reações, nossas emoções, o impacto que o resultado pode ter sobre nós ... Novamente, favorecer a expressão das chamadas emoções boas e mantê-las ao longo do tempo permitirá iniciar o processo de mudança da realidade.


Finalmente, a última parte do exercício é criar um símbolo, um arquétipo que focalize toda a nossa energia criativa para alcançar nosso objetivo.


Hoje sabemos que a meditação torna possível conectar-se a si mesmo e agir sobre o que nos rodeia. Muitos trabalhos científicos foram publicados nas melhores revistas sobre os efeitos no cérebro de praticas meditativas. De fato, concentrando-se em si mesmo e evitando desperdiçar energia prestando muita atenção às coisas fora de nós, nosso campo de energia se recarregará gradualmente e poderá intervir em nossa mudança.

moldar uma nova personalidade, mais alinhada com nossas expectativas.


Meditação de mindfullness para uma nova realidade

Configurar uma rotina


Quero fazer uma ressalva aqui: Estou usando a palavra “meditação” no sentido de mindfullness ou plena consciência, como simplificação comumente encontrada no ocidente, ou seja técnicas e praticas de concentração e lembrando que a Meditação apareceu há séculos na Índia e o seu propósito não era apenas tirar o estresse e fazer com que as pessoas se sentissem um pouco melhor, mas percorrer um caminho filosófico e/ou espiritual que incluía muitas outras coisas além da meditação per si.


Falando então de meditação ocidental, a pratica de fazer exercícios diários de meditação nos permitirá gradualmente mudar nossa realidade. Podemos permear nossos cérebros por novas perspectivas e reprogramar para sair dos padrões errôneos que estamos arrastando do passado.

Para isso, é iniciar um processo de concentração, levando o cérebro a operar em ondas alfa.


Para entender o que acontece precisa saber que

· Quando a mente está consciente e acordada, funciona em ondas beta.

· Quando nossos pensamentos são excitados pela emoção, eles atingem uma alta frequência beta. É o que acontece na reações do estresse que assim permite uma resposta automática de luta ou fuga (muito benvinda em caso de ataque de uma leão)

· O prolongamento desse alto estado beta gera superativação de áreas do cérebro que desencadeiam respostas corporais potencialmente prejudiciais.

· Na meditação, as ondas alfa representam as primeiras camadas do inconsciente. Gradualmente, a respiração diminui, o corpo diminui. Ao estender esse estado, estamos nos movendo em direção a estados teta e finalmente estados delta, mais profundamente.

· A última camada é equivalente ao estado de sono, mas prefere estar acordado.


É acessando nosso subconsciente que podemos realmente mudar o jogo. Comparado a um computador, o subconsciente, como o "sistema operacional" do cérebro, pode ser reprogramado: mude nossos hábitos em profundidade, nosso comportamento e nossas várias cicatrizes emocionais ...

Esse funcionamento é bem evidenciado quando antes de dormirmos pensamos em eventos negativos que ocorreram ao longo do dia, nossa mente mudará automaticamente para um alto estado beta de despertar, sem possibilidade de restringir o processo analítico.


A meditação ajuda a bloquear esse processo, que pode se tornar destrutivo e desperdiçar nossa energia. Nosso cérebro detectará um estado de semi-sonolência e liberará melatonina no cérebro, reduzirá naturalmente nossos estímulos sensoriais.


Gere emoções positivas


Uma vez alcançado, esse estado de coerência permite ir além. Ao nos concentrarmos em emoções elevadas, como amor e gratidão, criamos um novo campo de energia. À medida que nosso corpo transforma energia em química (produzindo novos neuromediadores), produz um efeito sobre o ser como um todo. Tanto é assim que nos tornamos atores em nosso ambiente, e não espectadores. Estamos gradualmente assumindo o controle.

Dizer para si mesmo mentalmente que tudo está bem e que mudamos não é suficiente, infelizmente. É agindo no subconsciente que podemos ativar e conectar novos circuitos neurais, e também aumentar o comprimento dos nossos telómeros!


A prática é o segredo


O grande problema para a maioria das pessoas é que elas leram muitos livros, assistiram a muitos vídeos ou ouviram os discursos dos gurus, mas nunca colocaram as coisas em prática diariamente. No entanto, para obter resultados, o segredo está na pratica!


Meditar é a ferramenta


Consistência para enviar ondas poderosas (alfa)

Traga energia de volta para o corpo (não desvie sua atenção para fora para usá-la em mudança)

Tenha intenções claras e precisas

Imagine seus sentimentos quando o objetivo será alcançado e coloque um símbolo nele

Abra seu coração, visualize o símbolo e sinta fortemente a emoção positiva desejada

Meditação para aumentar a longevidade e diminuir a incidência de doenças degenerativas


Cada vez mais pesquisas científicas comprovam que a meditação tem um impacto benéfico na saúde, especialmente no envelhecimento. De fato, treinar sua mente para concentrar sua atenção no momento presente e tomar consciência do que está acontecendo em nosso corpo limitaria o desenvolvimento cognitivo, psicológico e até evitaria o desenvolvimento de demência.


Podemos aplicar essa visão a longevidade. Se levarmos em conta as idéias predominantes que a sociedade transmite atualmente, ser maduro ou envelhecer é negativo, é visto como um conjunto de perdas e o envelhecimento é frequentemente representado juntamente com uma certa fragilidade e necessariamente associado a toda uma procissão de doenças.


Um estudo realizado em 2005 por pesquisadores de Yale mostrou que esses preconceitos afetam muito mais do que pensamos em nossas vidas diárias. De fato, eles perceberam que as pessoas que assistem televisão costumam considerar o envelhecimento uma experiência terrível. Essas imagens os condicionam.


No entanto podemos evitar cair nesse condicionamento e até mudar a maneira como "envelhecemos". Adotar um posicionamento diferente e mudar o que percebemos da realidade, como acabamos de ver, faz parte de uma vida melhor. Mas isso nos permite agir em profundidade sobre o nosso estado de saúde. Também de acordo com este estudo, os cientistas também descobriram que as pessoas idosas que tinham uma visão positiva do envelhecimento desenvolveram menos doenças cardíacas, tinham melhor memória e eram mais propensas a se recuperar facilmente de lesões.


Meu conselho


Se você deseja viver uma vida longa plena e saudável, precisa ajustar melhor seus pilares da longevidade e considerar todos eles. Muitos prestam muita atenção à sua dieta ou se exercitam para ficar em forma. É importante incluir relações sociais e meio ambiente, gerenciamento de estresse, sono e descanso regular.

E para refletir percebemos que nesta proposta de reprogramação cerebral, vamos caminhar ao encontro dos filósofos indianos do Yôga o do Ayurveda

Saber desaprender - Praticar o desapego e a libertação - Observar a si mesmo e observar os seus pensamentos - Estar no momento presente - Meditar...




Bibliografia


“The effect of meditation on brain structure: cortical thickness mapping and diffusion tensor imaging”

Do-Hyung Kang, Hang Joon Jo, Wi Hoon Jung, Sun Hyung Kim, Ye-Ha Jung, Chi-Hoon Choi, Ul Soon Lee, Seung Chan An, Joon Hwan Jang, Jun Soo Kwon

Social Cognitive and Affective Neuroscience, Volume 8, Issue 1, January 2013, Pages 27–33, https://doi.org/10.1093/scan/nss056


“Buddha's Brain: Neuroplasticity and Meditation”

Richard J. Davidson ; Antoine Lutz

IEEE Signal Processing Magazine, Volume: 25, Issue: 1 , 2008

Page(s): 176 - 174 16 January 2008


“Spectral analysis of the EEG in meditation”

J.PBanquet2∗

https://doi.org/10.1016/0013-4694(73)90170-3


“Increased Theta and Alpha EEG Activity During Nondirective Meditation”

Jim Lagopoulos, Jian Xu, Inge Rasmussen, Alexandra Vik, Gin S. Malhi, Carl F. Eliassen, Ingrid E. Arntsen, Jardar G. Sæther, Stig Hollup, Are Holen, Svend Davanger, Øyvind Ellingsen

https://doi.org/10.1089/acm.2009.0113 , 18 Nov 2009


Envelhecimento, estresse e sociedade: uma visão psiconeuroendocrinológica

Aline PereiraI; Carla FreitasI; Cristiane MendonçaI; Fernanda MarçalI; Jennefer SouzaI; João Paulo NoronhaI; Larissa LessaI; Lívia MeloI; Raquel GonçalvesI; Alfred Sholl-Franco Ciênc. cogn. vol.1 Rio de Janeiro mar. 2004


“Alteraçoes fisiológicas decorrentes do envelhecimento”

Wagner Gonçalves Lays Oliveira Hermano Tainah Cardoso Costa

Revista Mosaicum 27, Jan./Jun. 2018 - ISSN 1980-4180


“Wnt Signaling in the Hippocampus in Relation to Neurogenesis, Neuroplasticity, Stress and Epigenetics”

Ramona A.J.Zwamborn*ClaraSnijders†NingAn†AlixThomson†Bart P.F.Rutten‡Laurencede Nijs†

https://doi.org/10.1016/bs.pmbts.2018.04.005


“From mental power to muscle power- gaining strength by using the mind.” Neuropsychologia 42 (2004) 944-150;956.

Ranganathan, Vinoth K., Vlodek Siemionowa, Jing Z. Liu, Vinod Sahgal, Guang H. Yue.


https://drjoedispenza.net/blog/the-brain-a-record-of-the-past-of-the-map-to-the-future/

0 visualização

​© 2019 ISABELLE DOSSA | Medicina Integrativa . Health Coach

    Acompanhe o conteúdo

    nas redes sociais

    • Black Facebook Icon
    • Black Instagram Icon